sábado, 12 de março de 2016

#SemanadaMulher, uma homenagem da gravadora Biscoito Fino

Fonte: Biscoito Fino - 11.03.2016

Turnê de Simone com ingressos a R$ 1 passará pelo Recife

Eis que o Jornal do Commercio nos traz a notícia tão esperada que Simone passará com sua turnê É Melhor Ser pelo Recife. A Cantora retomou o circuito de shows, iniciado em outubro, após um tempo de repouso para se curar de uma hepatite.


Show de Simone no Recife com a turnê É Melhor Ser está marcado para o dia 28 de abril, no Teatro Guararapes
Show de Simone no Recife com a turnê É Melhor Ser está marcado para o dia 28 de abril, no Teatro Guararapes - Foto: Divulgação

Ao estrear sua turnê nacional, há seis meses, Simone se deparou com um cenário que jamais vira, em 40 anos de carreira: parte do público que foi vê-la nunca havia entrado num teatro nem numa casa de show. Teve gente levando marmita por não ter dinheiro para comer fora. Teve fila desde cedo na bilheteria, ingressos se esgotando em uma hora. 
"Se você oferece cultura, as pessoas vão. Está sendo um prazer enorme. Você não sabe o que é o olhar de uma pessoa que está vendo o primeiro show da vida dela. Eu me lembro da primeira vez em que fui ao teatro, uma menina de 16 anos, já morando em São Paulo, numa peça com Rosamaria Murtinho e Francisco Cuoco. Então me coloco no lugar deles", compara a cantora baiana, que, curada de uma hepatite que interrompeu a sequência de shows, está retomando agora as viagens, iniciadas em outubro. A reestreia foi nesta sexta (11/3), no Vivo Rio, e o também será apresentado no Teatro Guararapes, dia 28 de abril (os bilhetes começam a ser vendidos dez dias antes, na bilheteria do teatro). 

O frisson despertado pela turnê É Melhor Ser se deve ao valor dos ingressos: R$ 1. E ainda há vendas a R$ 0,50, em respeito à obrigatoriedade da meia-entrada. Os ingressos só podem ser adquiridos pessoalmente, para evitar a ação de cambistas e a revenda a valores muito mais altos.

Era um desejo antigo de Simone oferecer a quem não tem recursos o mesmo show pelo qual se cobra R$ 100 (preço das apresentações da intérprete em 2014, no Rio): em grandes palcos, com direção da atriz Christiane Torloni (que a colocou o tempo todo no centro do palco), cenário de Hélio Eichbauer, e arranjos de Leandro Braga para um repertório que tem Chico Buarque (Sob Medida), Ivan Lins (Começar de Novo), Dolores Duran (A Noite do Meu Bem), Sueli Costa (Jura Secreta), Angela Ro Ro (A Vida É Bela)...

"Queria um show assim (quase gratuito) há muito tempo, mas não poderia fazer isso se não fosse o patrocínio da Bradesco Seguros. Eles aceitaram e mostraram que eu não estava errada. Esse espetáculo é um presente para mim", diz Simone, que diminui seu ganho com a turnê, mas acredita ter "ganho muito mais". 
Ela prefere não se posicionar quanto à recente decisão do Tribunal de Contas da União de vetar os incentivos fiscais via Lei Rouanet (da qual patrocinadores se valem) para eventos culturais lucrativos (ainda cabe recurso). "Sou patrocinada pela Bradesco Seguros desde 2009. Não posso comentar coisas sem ter capacidade para isso. Se eu pudesse só cantar de graça, eu cantava", afirma.

O show já esteve em Belo Horizonte, Porto Alegre e São Paulo e passará por Curitiba (dia 19), João Pessoa (16/4), Fortaleza (21), Natal (23), Recife (28), São José do Rio Preto (21/5). 

As comemorações dos 40 anos de música vêm desde 2013 - a referência é o primeiro LP, Simone (1973). Neste 2016, os 40 anos são de O Que Será, a música de Chico Buarque tema de Dona Flor e Seus Dois Maridos, filme que tornou sua voz conhecida em todo o País, e que foi o mais visto da história do cinema brasileiro por 34 anos. 
Depois disso, seria lançado um LP por ano e Simone dominaria rádios e programas de TV. Sua marca é de 20 milhões de discos vendidos, algo difícil de explicar ao público nascido no século 21. "Já me adaptei há muito tempo, nunca fui uma pessoa que respirei o sucesso", conta. "Tenho feito tudo o que quero: não importa se levo dois, três anos para isso", acrescenta.

Fonte: Jornal do Commercio, por Roberta Pennafort/Estadão Conteúdo - 11/03/2016

Simone em entrevista a O Globo

Em entrevista à Agência O Globo, cantora Simone fala sobre seu projeto de shows com preço popular, política, entretenimento, sexualidade e vaidade.


SC Rio de Janeiro (RJ) 08/03/2016 - Simone, cantora. Foto: Fernando Lemos / Agência O Globo
O Globo - Como é possível fazer uma turnê com ingressos a R$ 1?
Simone - É uma briga minha há pelo menos 20 anos. Tem gente que pode pagar, mas muito mais gente não pode. Sem patrocínio, eu não conseguiria. A casa de shows cobra 50% da bilheteria, vamos percorrer 20 cidades, o cenário é do Hélio Eichbauer, a direção é da Christiane Torloni...

OG - Após tanto tempo patrocinada, o que você acha das críticas à Lei Rouanet?
S - Não tenho capacidade para debater esse assunto a fundo. Sou patrocinada desde 2009. Não sou produtora, apenas uma cantora que batalha. E esta temporada acabou vindo numa hora importante, uma crise horrorosa.

OG - O que acha da atual situação política?
S - Eu acho uma sacanagem, uma escrotidão, uma filha da putice o que estão fazendo com o país e com o povo. Nós temos uma parcela de culpa nas pequenas corrupções do dia a dia, mas os dirigentes do país são os verdadeiros culpados.

OG - O que seriam as pequenas corrupções do seu dia a dia?
S - Já pedi que amigos comprassem ingressos para não ter que entrar na fila...

OG - Artista tem obrigação de se posicionar politicamente, de declarar voto?
S - Não acho que por se artista devo fazer tal coisa. Os tempos estão muito quentes.



Simone - Fernando Lemos / Agência O Globo


OG - Você já declarou voto no passado?
S - Já. Acompanhei a Arena, o PMDB. Nunca votei no PT.

OG - Alguns artistas estão se mobilizando para as manifestações convocadas para este domingo. Você está entre eles?
S - Não. Mas dia 13 estarei na rua. Minha panela tem sido batida na janela. Mas meus tempos são outros. Só quero cantar e, de vez em quando, ver “House of cards”.

OG - Além de assistir a séries, o que você gosta de fazer para se divertir?
S - Ver filmes. Da última leva, o que mais gostei foi “Carol’’. Também gostei de “Spotlight’’ e “A garota dinamarquesa’’. Não vi “O menino e o mundo’’, mas quero ver.

OG - Você vai ao cinema ou baixa os filmes na internet?
S - Não sei baixar nada... A única vez que em tentei entrou um filme de sacanagem (risos).

OG - Por falar da última leva de filmes, a atriz Gloria Pires virou alvo de muitos memes por sua atuação como comentarista do Oscar. Como você vê essa resposta implacável das redes sociais? Você usa Facebook, Twitter ou Instagram?
S - Sou antiga. Não gosto nem de mensagem de texto ou voz. Mas sei que existem ótimos perfis falsos meus, que sabem mais coisas minhas do que eu. E sei que sofri muito bullying com a música “Então é Natal” (1995). Fizeram campanha na internet, queriam proibir de tocar, uma coisa horrível e ditatorial. Com uma música que as pessoas adoram e que vendeu 1 milhão de cópias...

OG - Você se arrepende de tê-la gravado?
S - Não matei, não roubei, vou ter vergonha de uma música que fez sucesso na minha voz? Tive a ideia de gravar um disco de canções natalinas durante uma viagem a Nova York, quando entrei numa loja de discos e vi que vários cantores americanos tinham feito. Além disso, nasci no dia 25 de dezembro. E minha relação sempre foi de ódio e amor com o Natal. É difícil ter Jesus Cristo como concorrente.


Simone - Fernando Lemos / Agência O Globo


OG - No próximo 25 de dezembro você completa 67 anos...
S - Sou uma senhora, mas não tenho espírito de senhora. Aliás, queria que você botasse aí que acho um absurdo a maneira como representam a pessoa como mais de 65 anos no cartão de gratuidade de estacionamento para idoso (ela pede para pegar o papel que carrega no carro e mostra a figura de um boneco curvado, com bengala e mão na lombar). Fico revoltada.

OG - Aos 66 anos, como fica a sexualidade?
S - Ativíssima. Sou saudável. Acho que mulher tem que se masturbar mesmo. Não pode ficar parada. Para mim, quando o olhar bate, não importa se é homem ou mulher. Já tive muitos problemas com isso quando namorei uma mulher pela primeira vez, aos 18 anos. Hoje lido bem. Também já namorei homens. Não levanto bandeira, mas nunca escondi nada. Acho que uma relação trata de amor, desejo, cumplicidade. Isso é o que importa.

OG - Você é vaidosa?
S - Não sei. Lavo o cabelo em todos os banhos, não uso maquiagem, mas gosto de estar sempre cheirosa.

OG - Já fez plástica?
S - Tirei gordura sob os olhos, ajustei o pescoço e diminuí os seios, que cresceram muito com a menopausa. A ampulheta já virou... Quero viver o agora. Passei por momentos difíceis, lutas internas. Hoje sou feliz. Não estou nem aí para o que falam de mim. Já liguei o... (ela não termina a frase). Isso tem a ver com este meu disco (lançado em 2013). Canto o que ouço, o que gosto, o que me faz feliz.

OG - O disco em que se baseia o show tem apenas músicas compostas por mulheres, inclusive uma parceria sua com a atriz Fernanda Montenegro...
S - A Fernanda me mandou uma carta de amizade, que ficava na parede. Um dia, pensei: “Isto é música’’. Fiz a melodia e mandei para ela. Assim nasceu “A proposta’’. O disco é um agradecimento às compositoras contemporâneas. Vivo cercada de mulheres densas e intensas.


Fonte: O Globo, 11.03.2016

Crítico Mauro Ferreira sobre a volta de Simone

Em nota na sua página do Facebook, Mauro Ferreira, jornalista e crítico musical, relata estar feliz com o retorno da Cigarra às páginas culturais.


"Feliz de ver Simone hoje de volta às páginas dos cadernos culturais, com direito a duas capas (n'O Dia' e n'O Globo') e reportagem no 'Estadão', de onde pesquei a foto de Wilton Junior. Simone é cantora importante, maculou sua discografia na década de 1980 (mas não foi a única...), mas já pagou um preço (na mídia) alto demais por suas escolhas musicais. Outro dia, ouvi o álbum 'Pedaços', de 1979. Obra-prima da 'Cigarra'! E que venham outros discos, outros shows. A voz de Simone é referencial para a minha geração." Mauro Ferreira, 11.03.2016.

quarta-feira, 5 de agosto de 2015

Cantora Simone volta a Belém para show no Grêmio Português

Show 'É melhor ser' acontecerá no dia 8

O show da cantora Simone é o presente que o Grêmio Português traz para o dia dos pais desse ano. A apresentação acontecerá no sábado (8) e para a ocasião serão vendidas mesas de quatro lugares (R$600 sócio e R$700 e não-sócio) e camarotes de dez lugares (R$1.800 sócio e R$2.000,00 não sócio).
Há mais de 15 anos sem pisar em solo paraense, Simone apresentará o show ‘É melhor ser’, com canções de seu último CD, que tem o mesmo nome.
Simone traz também canções inéditas neste último CD, como a que ela mesma compôs com Zélia Duncan, chamada ‘Só se for’, além de ‘Haicai’, de Fátima Guedes.
O público ainda poderá ouvir canções de compositoras que Simone admira, como Rita Lee, Joyce, Fátima Guedes, Marina Lima e Sueli Costa, além de outras que ela nunca havia gravado, como Teresa Cristina e Alzira Espíndola.
Novas versões para as canções ‘Charme do Mundo’ (Marina e Antônio Cícero), ‘Mutante’ (Rita Lee e Roberto de Carvalho), ‘Acreditar’ (Dona Ivone Lara e Délcio Carvalho) e ‘Trégua Suspensa’ (Teresa Cristina e Lula Queiroga) também são escutadas no show.

Fonte: ORM News

segunda-feira, 27 de julho de 2015

Simone em Belém


O canto da cigarra no palco do Grêmio Português. Será uma noite imperdível.
Vendas de mesas e camarotes: http://gremioportugues.com.br/eventos/detalhe/simone-show-do-dia-dos-pais

segunda-feira, 6 de julho de 2015

Simone em Belém/PA


A cantora Simone traz todo o seu romantismo em um super show em homenagem ao pais

O romantismo de Simone é o presente que o Grêmio Português traz, no dia 8 de agosto, para homenagear o Dia dos Pais. Com mais de 40 anos de carreira e um timbre inigualável, a cantora chega ao palco do Salão de Eventos (sede campestre), a partir de 22h, em um dos shows mais aguardados em Belém. A noite ainda reserva a apresentação do Pai Gremista do Ano.
São mais de 15 anos sem pisar em solo paraense, portanto, Simone deve matar a saudade do público, que há anos pede sua presença. Ela traz o show "É melhor ser", com canções de seu último CD, que tem o mesmo nome.
Em sua apresentação no Grêmio Português, o público poderá ver a cantora Simone interpretar canções de compositoras que admira, como Rita Lee, Joyce, Fátima Guedes, Marina Lima e Sueli Costa, além de outras que ela nunca havia gravado, como Teresa Cristina e Alzira Espíndola. O primeiro single do CD, por exemplo, chama-se "Mulher o suficiente", de autoria de Alzira Espíndola e Vera Lucia Motta.
Simone traz também canções inéditas neste último CD, como a que ela mesma compôs com Zélia Duncan, chamada "Só se for", além de "Haicai", de Fátima Guedes. "A propósito", nasceu de um bilhete enviado pela atriz Fernanda Montenegro, também está no repertório do show. 
Novas versões para as canções "Charme do Mundo" (Marina e Antônio Cícero), "Mutante" (Rita Lee e Roberto de Carvalho), "Acreditar" (Dona Ivone Lara e Délcio Carvalho) e "Trégua Suspensa" (Teresa Cristina e Lula Queiroga) também são escutadas no show.

HOMENAGEM AOS PAIS
Toda essa musicalidade que Simone traz em sua trajetória artística será a trilha sonora para um importante momento no Grêmio Português, a tradicional homenagem ao Pai Gremista do Ano, que será apresentado antes do show da cantora. A personalidade representará todos os pais presentes.


DATA E HORÁRIO:

08.08 ÀS 22H

INGRESSOS:

Mesa (4 lugares):

Sócio - R$600,00

Não-Sócio - R$700,00

Camarote (10 lugares):

Sócio - R$1.800,00

Não-Sócio - R$2.000,00


INFORMAÇÕES:

(91)3222-9425

(91)3268-1240

(91)9990-29733


Vendas de ingressos nas sedes social e campestre. Garanta já sua entrada!
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...